Página Inicial Bloguinho Banco de germoplasma
  


Banco de germoplasma Banco de germoplasma

Quando escutamos a palavra “banco” pensamos logo que serve para guardar dinheiro ou alguma coisa importante. E não deixa de ser. O Banco de germoplasma é formado a partir da identificação, caracterização e preservação de células germinativas de alguns seres vivos, sejam animais ou vegetais.

Quando sabemos o que os animais possuem de diferente, como cor, tamanho, comportamento, produção, adaptações ao clima, resistência a doenças, devemos conservar essas diferenças para que possamos mais tarde decidir e utilizar as características mais importantes. Assim, não corremos o risco de perder essas aptidões ou descartá-las com o passar dos anos.

Para se conservar, é necessário manter preservado um grupo de animais vivos em núcleos de conservação. No caso do Núcleo de Conservação de Ovinos Santa Inês, da Embrapa Tabuleiros Costeiros, um rebanho de ovelhas e de carneiros com importantes características é mantido numa fazenda experimental, localizada no seu habitat natural, sem que se misturem com outras raças.

Além disso, existem ferramentas utilizadas na biotecnologia da reprodução que também ajudam na conservação desses animais e que têm relação direta com a formação dos Bancos de germoplasma. Isso significa que os cientistas utilizam técnicas de laboratório e de campo, como a congelação de gametas e embriões, a inseminação artificial e a transferência de embriões, que permitem armazenar, testar e disseminar o material genético dos animais de um determinado grupo.

Com o Banco de Germoplasma de Ovinos Santa Inês, importantes características já conhecidas dessa raça, como adaptação ao nosso clima quente e escassez de alimento e resistência a determinadas doenças, além de aptidões ainda não descobertas, estão sendo guardadas para serem aproveitadas pelas futuras gerações.

Ovino Santa Inês - É uma raça originária do nordeste brasileiro adaptada às nossas condições climáticas e que produz principalmente carne e pele de excelente qualidade para a alimentação humana. Por isso, é considerado um patrimônio genético importantíssimo, devendo ser preservado antes que seja perdido. Ultimamente temos visto, em exposições e feiras agropecuárias pelo País, as mudanças que o ovino Santa Inês vem sofrendo com o cruzamento de outras raças. A perda de determinadas características poderá ser irreversível, com prejuízos enormes, principalmente para os pequenos agricultores de países subdesenvolvidos ou localizados em regiões com clima desfavorável, como no Nordeste do Brasil.



Fonte: http://www.cpatc.embrapa.br/


Agora responda à pergunta:
O que os cientistas fazem para preservar os animais e vegetais?


Onde pesquisar:



 Pesquisa Google



 

Nome:


Digite sua resposta no campo abaixo:








Postado por Embrapa Tabuleiros Costeiros em 28/03/2011 09:50





COMENTÁRIOS:
Voltar para página anterior