Página Inicial Bloguinho Sistema Agrossilvipastoril
  


Sistema Agrossilvipastoril Sistema Agrossilvipastoril
Nas Unidades da Embrapa, as leis sobre preservação ambiental são respeitadas e as pesquisas são desenvolvidas com muito cuidado para não agredir o meio ambiente nem destruir a natureza.

A Embrapa Caprinos e Ovinos adaptou o Sistema de Produção Agrossilvipastoril, uma tecnologia que permite ao homem do campo conviver em harmonia com o bioma mais comum na região Nordeste: a Caatinga. Nessa região o homem corta e queima a vegetação para fazer seus roçados, explora por 2 anos o local, depois abandona porque a quantidade de alimento produzido diminui. Aí, ele começa a destruir outra área. E assim, a cada ano, o sertanejo vai destruindo a natureza com suas agressões ao meio ambiente

A Embrapa Caprinos e Ovinos, que fica em Sobral, no interior do Ceará, possui uma fazendinha com oito hectares, onde está instalado o Sistema Agrossilvipastoril para que visitantes possam conhecê-lo.

O Sistema Agrossilvipastoril procura integrar, numa mesma área, o plantio de roçados, a criação de animais e a preservação da mata. Um dos objetivos é aumentar a quantidade de alimentos produzidos na terra, por meio de práticas que não agridam a natureza.

A fazendinha de oito hectares é dividida em três parcelas: a primeira, de 20%, para a plantação; a segunda, de 60%, para a criação de animais (cabras e ovellhas) e a terceira, de 20%, como reserva legal, uma área que não pode ser desmatada.

O preparo da área para agricultura é feito no período seco e se preserva cerca de 200 árvores por hectare e a mata ciliar, aquela que fica próxima das nascentes de água. Toda madeira útil é retirada para uso ou venda, e o que não pode ser aproveitado é amontoado, depois apodrece e se incorpora ao solo na forma de adubo. No início das chuvas, os sertanejos fazem seus roçados de milho, feijão e mandioca e plantam também uma planta leguminosa perene, tipo leucena ou gliricídia, para alimentar os animais no período seco.

Na parcela destinada à criação, preserva-se cerca de 400 árvores por hectare e a mata ciliar. A pastagem dá para manter um rebanho de cinco cabras e/ou ovelhas. A madeira útil é retirada e o que não serve também é picotado. Na estação das chuvas, as rebrotações das plantas são cortadas para manter a pastagem produtiva.

Todo o esterco produzido pelos animais é recolhido e aplicado na área agrícola. Por todo tempo a saúde dos animais recebe cuidados especiais redobrados.

Essa tecnologia permite a conservação ambiental, garante ao produtor plantar e ganhar mais plantando na mesma área por muitos anos e permite a sobrevivência do sertanejo na Caatinga, com o que os pesquisadores chamam de integração lavoura-pecuária-floresta.

O plantio tradicional dos roçados é mais barato, no entanto, as agressões ao meio ambiente são muito grandes e trazem problemas como a erosão do solo, que deixa de produzir alimentos, e a destruição da biodiversidade, porque causa a morte de animais e plantas. Já o Sistema de Produção Agrossilvipastoril ajuda a aumentar a renda do homem do campo e garante o futuro das novas gerações.



Fonte: http://www.cnpc.embrapa.br


Agora responda à pergunta:
Quais são os três componentes do Sistema Agrossilvipastoril?


Onde pesquisar:



 Pesquisa Google



 

Nome:


Digite sua resposta no campo abaixo:








Postado por Embrapa Caprinos e Ovinos em 30/03/2011 10:57





COMENTÁRIOS:
Voltar para página anterior